Publicado em: InfoMoney com Bloomberg | Mercados/Agro
Por DATAGRO | 02 de outubro de 2017

São José dos Campos tem se posicionado como novo mercado para empresas, pesquisadores e profissionais da área

Referência em tecnologia para os setores aeroespacial e de defesa, São José dos Campos (SP) começa a despontar como centro de soluções tecnológicas para o agronegócio. Este novo mercado tem atraído empresas, pesquisadores e profissionais que atuam em previsão de clima, sensoriamento remoto, imagem e aeronáutica.

Um exemplo é a ALTAVE, empresa aeroespacial fundada em 2011 por dois engenheiros formados pelo ITA, que perceberam oportunidades de aplicações de sua tecnologia na área rural. A ALTAVE ficou conhecida internacionalmente ao utilizar balões para monitoramento de segurança dos Jogos Olímpicos Rio 2016. O sistema contou com quatro balões capazes de monitorar grandes áreas em 360°, com imagens simultâneas de alta definição.

“Quando começamos a desenvolver os requisitos exigidos pelo Ministério da Justiça para as Olimpíadas, vimos a possibilidade de aplicar a tecnologia em outras áreas, como o agronegócio”, diz Amanda Pinha, gerente de marketing da ALTAVE. Detecção de incêndio, monitoramento de colheita, conexão entre máquinas e proteção patrimonial são algumas das soluções desenvolvidas pela ALTAVE.

Outra empresa originária do setor aeroespacial da região que está de olho no agronegócio é a FT Sistemas. Homologada pelo Ministério da Defesa como uma empresa estratégica de defesa, a fabricante de Vants (Veículos Aéreos Não Tripulado) oferece desde soluções para otimizar a pulverização agrícola até coleta de dados e monitoramento do solo.

O diretor do Parque Tecnológico São José dos Campos (PqTec) e ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, ressalta que instituições e empresas de São José dos Campos estão unindo esforços de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia em diferentes áreas, que tem resultado em uma crescente projeção de São José dos Campos no agronegócio.

“O Parque Tecnológico se posiciona como um hub de integração de tecnologias onde empresas ligadas ao setor aéreo e de TI criam soluções que conseguem atender as deficiências do setor de agronegócios, que é a geração de inteligência por meio de imagem, comunicação e análise de dados”, ressalta Raupp.

Optimus GIS, Kersys e Geoambiente são outras empresas de tecnologia aeroespacial vinculadas ao PqTec que estão desenvolvendo novas soluções para o agronegócio. Nos dias 17, 18 e 19, a Feira e Congresso de Tecnologia e Inovação de São José dos Campos vai incluir, pela primeira vez, o eixo agronegócio em sua programação.

Fonte: InfoMoney com Bloomberg