Publicado em: G1 Globo | Jornal Hoje
Por Felippo Mancuso | 01 de julho de 2017

Dados de maio do Ministério do Trabalho e Emprego revelam que enquanto as regiões metropolitanas do país perderam postos de trabalho, o interior segue num caminho inverso, com saldo positivo de mais de 40 mil vagas.
Trabalhadores estão saindo das grandes metrópoles e voltando para o interior do país atrás de emprego no setor de serviços, no comércio e na agricultura.

Em São José dos Campos, no interior de São Paulo, uma empresa que produz balões de vigilância, praticamente dobrou o quadro de funcionários. “Éramos 12 funcionários em 2015, passamos pra 30 agora e a expectativa é contratar mais 10 pessoas até o final do ano que vem.

A empresa tá fechando contratos com empresas de fora do brasil, estamos tendo uma demanda muito grande aqui dentro do país também”, comenta Michelle Bueno, gerente de projetos.

A empresa começou a crescer depois que os balões foram usados nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Ismael Jorge costa neto, engenheiro eletricista, tentou emprego em várias capitais, mas acabou encontrando a grande chance da carreira no interior.
“A tendência das multinacionais é ter escritórios em capitais como Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Então era mais onde eu tinha tentado, mas tinha muitas vagas também no interior. Aí, no caso, a proposta daqui eu achei melhor e resolvi vir pra cá”.

O videografista Renê Proença Neto trabalha com edição de vídeos e trocou o Rio de Janeiro por Valinhos, no interior de São Paulo. Foi ganhando um salário maior, mas não foi só isso que o fez deixar a cidade grande. “Moro numa casa que é tranquilidade total, que é uma casa de rua. No rio eu morava num apartamento de cinquenta metros quadrados pra ter um pouco de segurança lá no rio e mesmo assim não era garantido”, comenta.

Esse novo comportamento do mercado reflete nos números. Dados de maio do Ministério do Trabalho e Emprego revelam que enquanto as regiões metropolitanas do país perderam postos de trabalho. O interior segue num caminho inverso. Em maio, o saldo – que é a diferença entre contratações e demissões – foi negativo nas regiões metropolitanas. Já o interior teve um saldo positivo de mais de 40 mil vagas.

Esse aumento de vagas no interior já entrou no radar das agências de emprego. Num dos principais portais de classificados de empregos da internet, o número de vagas oferecidas em maio foi 29% maior do que no mesmo período do ano passado.

“O que a gente vê em função da crise, as pessoas estão muito mais dispostas a fazer concessões, seja mudar de cidade, aceitar um salário menor, aceitar até uma redução de cargo, e o que a gente tem visto é que o tempo de busca de emprego tem aumentado, e quanto maior esse tempo, mais concessões as pessoas fazem”, declara Eduardo Thuler, presidente da Catho.

Fonte: G1 Globo – Jornal Hoje

Relembre a atuação da ALTAVE nos Jogos Olímpicos Rio 2016